sábado, 21 de outubro de 2017

Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que os médicos forenses viram nas exumações.

Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que os médicos forenses viram nas exumações.


A incorruptibilidade do corpo de Santa Bernadette Soubirous é um dos casos mais assombrosos e estudados pela medicina

A incorruptibilidade do corpo de Santa Bernadette Soubirous é um dos casos mais assombrosos e estudados pela medicina.

A grande festa de Lourdes se comemora em 11 de fevereiro e a festa de Santa Bernadette em 18 de fevereiro na França, e em 16 de abril alhures.
Desde 3 de agosto de 1925, o corpo intacto da Santa se encontra exposto numa urna de cristal na capela do convento de Saint-Gildard, na cidade de Nevers, França. A cidade fica na Borgonha, a 260 km ao sul-suleste de Paris.
Assim informa uma inscrição ao lado do corpo da Santa na mesma capela:
“O corpo de Santa Bernadette repousa nesta capela desde 3 de agosto de 1925.
Ele está intacto e “como se estivesse petrificado” segundo foi reconhecido pelos médicos juramentados e pelas autoridades civis e religiosas por ocasião das exumações de 1909, 1919 e 1925.
O rosto e as mãos, que escureceram no contato com o ar, foram recobertos com ligeiras camadas de cera, moldadas segundo os modelos recolhidos diretamente.
A posição inclinada para o lado esquerdo foi assumida pelo corpo no túmulo.”
Vejamos, entretanto, o que disseram os médicos responsáveis pelas perícias praticadas sobre o corpo da Santa nas diversas ocasiões mencionadas na inscrição.
Primeira exumação
Em 22 de setembro de 1909, trinta anos após o velório, seu cadáver foi exumado pela primeira vez e o corpo encontrado intacto.
Os Drs. Ch. David e A. Jordan, que conduziram esta primeira exumação, escreveram no relatório da perícia:
“O caixão foi aberto na presença do Bispo e do Prefeito de Nevers, seus principais representantes e diversos religiosos.
“Não notamos nenhum odor.
“O corpo estava vestido com o Hábito da Ordem a que pertencia Bernadette. O Hábito estava úmido.
“Apenas a face, mãos e antebraços estavam descobertos.
“A cabeça estava inclinada para a esquerda. A face estava lânguida e branca. A pele estava apegada aos músculos e estes apegados aos ossos.


Santa Bernadette, foto (detalhe acima e conjunto)
tirada entre após a última exumação (18 de abril 1925) 
e antes de ser guardada na urna atual (18 de julho 1925)
“As cavidades oculares estavam cobertas pelas pálpebras […]
“Nariz dilatado e enrugado. Boca levemente aberta e se podia ver os dentes no lugar.
“As mãos, cruzadas sobre o peito, estavam perfeitamente preservadas, bem como suas unhas. As mãos seguravam um terço. Podia se observar as veias no antebraço.
“Os pés estavam enrugados e as unhas intactas.
“Quando o Hábito foi removido e o véu levantado de sua cabeça, pode se observar um corpo rígido, pele esticada […]
“Seu cabelo estava com um corte curto e bem preso à cabeça. As orelhas estavam em perfeito estado de conservação […]
“O abdome estava esticado, assim como o resto do corpo. Ao ser tocado, tinha um som como de papelão.
“O joelho direito estava mais largo que o esquerdo.
“As costelas e músculos se observavam sob a pele […]
“O corpo estava tão rígido que podia ser virado para um lado e para o outro […]
“Em testemunho de que temos corretamente escrito esta presente declaração, a qual representa a verdade em sua totalidade.
Nevers, 22 de setembro de 1909, Drs. Ch. David, A. Jourdan.” Fonte: Wikipedia, em português — Font: Catholic Pilgrims, em inglês
Segunda exumação
Em 1919, dez anos depois da primeira exumação, realizou-se uma segunda exumação do corpo de Santa Bernadette, conduzida desta vez pelos Doutores Talon e Comte, com a presença do Bispo da cidade de Nevers, bem como do Delegado de Polícia e representantes da Prefeitura e da Igreja.


Santa Bernadette em seu velório, abril 1879, Nevers
A situação encontrada foi exatamente a mesma da primeira exumação.
Eis alguns excertos do relatório final do Dr. Comte, sobre esta segunda perícia:
“Deste exame, concluo que permanece intacto o corpo da Venerável Bernadette, esqueleto completo, músculos atrofiados, mas bem preservados; apenas a pele, que estava enrugada, pelos efeitos da umidade do caixão.[…]
“O corpo não estava em putrefação nem decomposição, o que seria esperado como normal, após quarenta anos de seu sepultamento.

Terceira exumação
Por fim, a 18 de novembro de 1923, Sua Santidade o Papa Pio XI assinou decreto reconhecendo a heroicidade das virtudes de Bernadette.
Após a beatificação da Santa, foi efetivada uma terceira exumação em 12 de Junho de 1925. O objetivo era a retirada de “relíquias” de seu corpo. A canonização viria oito anos mais tarde, em 1933.
Sobre esta última exumação, escreveu o Dr. Comte em seu relatório, em termos forenses que por vezes espantam aos leigos, mas que nos permitem medir com exatidão o grau da incorruptibilidade do corpo da vidente de Lourdes:


Santa Bernadette em seu velório, abril 1879, Nevers
A situação encontrada foi exatamente a mesma da primeira exumação.
Eis alguns excertos do relatório final do Dr. Comte, sobre esta segunda perícia:
“Deste exame, concluo que permanece intacto o corpo da Venerável Bernadette, esqueleto completo, músculos atrofiados, mas bem preservados; apenas a pele, que estava enrugada, pelos efeitos da umidade do caixão.[…]
“O corpo não estava em putrefação nem decomposição, o que seria esperado como normal, após quarenta anos de seu sepultamento.
“Eu queria abrir o lado esquerdo do tórax para retirar algumas costelas e então remover o coração, o qual eu tinha certeza que estaria intacto.
“Porém, como o tronco estava levemente apoiado no braço esquerdo, haveria dificuldade em ter acesso ao coração.
“Como a Madre Superiora expressou o desejo de que o coração de Santa Bernadette não fosse retirado, bem como também este era o desejo do Bispo, mudei de ideia de abrir o lado esquerdo do tórax e apenas retirei duas costelas do lado direito, que estavam mais acessíveis.
“O que mais me impressionou durante esta exumação foi o perfeito estado de conservação do esqueleto, tecidos fibrosos, musculatura flexível e firme, ligamentos e pele após quarenta e seis anos de sua morte.
“Após tanto tempo, qualquer organismo morto tenderia a desintegra-se, a se decompor e adquirir uma consistência calcária.
“Contudo, ao cortar, eu percebi uma consistência quase normal e macia.
“Naquele momento, eu fiz esta observação a todos os presentes de que eu não via aquilo como um fenômeno natural.” Fonte: Wikipedia, em português — Font: Catholic Pilgrims em inglês
Naquela época foi confeccionada a urna de cristal que guarda o corpo de Santa Bernadette.
As freiras cobriram seu rosto e as mãos com uma camada fina de cera.
A urna se encontra hoje numa bela capela fora da clausura para que possa ser visitada.
O corpo milagrosamente preservado de Santa Bernadette encoraja os visitantes a imitarem a vida de Santa Bernadette e levarem a sério as mensagens transmitidas pela vidente da Imaculada Conceição.
Vídeo: Corpo incorrupto de Santa Bernadette


nossa fonte: http://www.nossasenhoracuidademim.com/2017/08/corpo-incorrupto-de-santa-bernadette-o.html

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Os amantes de Hasanlu: o beijo que já dura 2.800 anos.


CASAL MORREU JUNTO DEPOIS DE UMA INVASÃO À CIDADE ONDE MORAVAM. 

Vídeo relacionado:
O sítio arqueológico Hasanlu está localizado no noroeste do Irã. As ruínas pertenciam a uma antiga cidade próspera que foi completamente destruída no século IX a.C. por invasores desconhecidos. Os cadáveres de seus habitantes ficaram espalhados pelas ruas e, com o passar do tempo, foram cobertos por escombros e terra.

Na década de 1970, um grupo de arqueólogos da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, descobriu no local os restos ósseos de duas pessoas que seriam conhecidas como “os amantes de Hasanlu”.

Sabe-se, com certeza, que um dos esqueletos pertence a um homem de 22 anos; o outro corresponderia a uma mulher de aproximadamente 35 anos. Acredita-se que essas pessoas tenham morrido de asfixia ao ficarem confinadas em um espaço exíguo após o ataque à cidade. A posição de seus corpos indicaria que, no momento da morte, o casal estaria se beijando, em um gesto de intimidade que se conserva há 2.800 anos. 

nossa fonte: https://seuhistory.com/noticias/os-amantes-de-hasanlu-o-beijo-que-ja-dura-2800-anos

Cidade conquistada por Alexandre, o Grande, é descoberta no Iraque.


Uma cidade perdida que foi invadida por Alexandre, o Grande, em sua conquista à Pérsia, finalmente foi descoberta no Iraque, décadas depois de ter sido vista pela primeira vez em imagens de satélite.
O local, chamado Qalatga Darband, estava na rota que Alexandre o Grande tomou ao perseguir o governante persa Dario III, em 331 AC, antes da batalha épica em Gaugamela. O sítio tem sinais de influência greco-romana, incluindo prensas de vinho e estátuas esmagadas que podem ter retratado os deuses Perséfone e Adônis.
“Estamos nos primeiros dias, mas pensamos que teria sido uma cidade movimentada em uma estrada do Iraque para o Irã. Pode-se imaginar pessoas que fornecem vinho para soldados que passam”, disse o historiador John MacGinnis, do British Museum.
Dados de espionagem surpreendentes
Na década de 1960, as imagens de satélites espiões estadunidenses revelaram a existência de um sítio antigo, perto da passagem rochosa Darband-i Rania, no Iraque. Quando os dados finalmente foram publicados, arqueólogos do British Museum os examinaram. Mais tarde, imagens de drones na área revelaram vários blocos de pedra calcária, bem como a sugestão de grandes edifícios enterrados sob o solo. No entanto, quando os arqueólogos conheceram a existência do local, a instabilidade política dificultou o estudo da região, disseram eles.
Somente nos últimos anos, a área tornou-se segura o suficiente para que os arqueólogos britânicos observassem de perto. Quando o fizeram, encontraram uma enorme quantidade de artefatos antigos. A cerâmica encontrada sugere que pelo menos uma área de Qalatga Darband foi fundada durante os séculos II AC e II pelos selêucidas, povo helenístico que governou depois de Alexandre o Grande, de acordo com um comunicado. Mais tarde, os selêucidas foram derrubados e seguidos pelos partos, que podem ter construído muros de fortificação extra para proteger contra os romanos que estavam em expansão nesse período.
O sítio contém um grande forte, bem como várias estruturas que provavelmente são prensas de vinho. Além disso, dois edifícios utilizam telhas de terracota, que são características da arquitetura greco-romana da época.
No extremo sul do local, os arqueólogos encontraram uma grande quantidade de pedras, sob as quais havia uma gigantesca estrutura semelhante a um templo. O prédio continha estátuas esmagadas que pareciam deuses gregos. Um, de um homem nu, provavelmente seria Adônis, enquanto outra figura feminina sentada provavelmente era a deusa Perséfone, de acordo com o comunicado.
Nas proximidades de Darband-I Rania, os arqueólogos também descobriram evidências de um assentamento ainda mais antigo. Essa fortaleza provavelmente data do período assírio, aproximadamente no século VII AC. O forte tinha paredes de 6 metros de espessura e era provavelmente uma maneira para os assírios controlar o fluxo de pessoas através da passagem. No mesmo local, os arqueólogos descobriram um túmulo com uma moeda que data do período dos partos, disseram os pesquisadores.
O túmulo traz a inscrição “Rei dos reis, benéfico, o justo, o manifesto, amigo dos gregos, este é o rei que lutou contra o exército romano liderado por Crasso em 54/53 AC”.
Essa inscrição sugere que a sepultura pertence ao rei Orodes II, que governou entre 57 AC e 38 AC, e pode ter se referido a um período em que os romanos tentaram conquistar os partos. Os partos desviaram esse ataque com arqueiros a cavalo que, de acordo com a declaração.
Traduzido e adaptado de Live Science.
nossa fonte: https://climatologiageografica.com/cidade-conquistada-por-alexandre-o-grande-e-descoberta-no-iraque/

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Cientistas confirmam lenda de São Francisco de Assis.

Pesquisadores europeus, liderados por Kaare Lund Rasmussen, da Universidade do Sul da Dinamarca, confirmaram parte da lenda atribuída a São Francisco de Assis. Segundo a lenda, São Francisco estava na França e enviou um saco cheio de pães aos seus irmãos no mosteiro de Folloni, perto de Montella, na Itália.

Os cientistas tiveram acesso a um pedaço do tecido sagrado e realizaram diversos testes. A datação por radiocarbono indica que o material têxtil era exatamente do período da lenda, entre 1220 e 1295.
A análise química também revelou a presença de ergosterol, um biomarcador conhecido da fabricação da cerveja, panificação ou agricultura. “Neste artigo, demonstramos a validade do ergosterol como um biomarcador da presença de pão no passado”, disse Kaare.
nossa fonte: https://www.traduzca.com/cientistas-confirmam-lenda-de-sao-francisco-de-assis/

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Extraterrestres do Caso Roswell foram trancados em uma prisão?


EX-OFICIAL FAZ REVELAÇÕES BOMBÁSTICAS SOBRE OS BASTIDORES DA BASE SECRETA AMERICANA. 

Vídeo relacionado:
Uma entrevista realizada com Raymond Szymanksi, um ex-oficial da Força Aérea dos Estados Unidos, e publicada recentemente pelo jornal britânico The Sun revela detalhes surpreendentes sobre o famoso Caso Roswell.

Segundo Szymanksi, que trabalhou na base secreta americana de Wright-Patterson (WPAFB), em Dayton, Ohio, por 39 anos, tanto as naves espaciais quanto os extraterrestres do incidente ufológico mais famoso da história foram levados para a base e mantidos em túneis subterrâneos secretos.

O ex-oficial, que publicou recentemente o livro “Fifty Shades of Greys”, no qual detalha suas teorias, acredita que foram construídas inúmeras câmaras criogênicas nos túneis da base, onde estão conservados os corpos alienígenas e a tecnologia extraterrestre resgatada após o impacto.

Apesar de Szymanski admitir nunca ter visto nenhum dos corpos, ele explica que ninguém na base negou sua existência e que era comum testemunhar o local ocupado por homens vestidos todos de preto, que, de acordo com sua hipótese, seriam agentes investigadores do fenômeno óvni.
Fonte: RT
Imagem: SHUTTERSTOCK
nossa fonte: https://seuhistory.com/noticias/extraterrestres-do-caso-roswell-foram-trancados-em-uma-prisao

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Imagens de Santa Maria - RS.


Algumas poucas imagens de Santa Maria no Rio Grande do Sul.


Vista do Mirante de Itaara - RS e ao fundo a cidade de Santa Maria e a Ponte Garganta do Diabo, Vale do Menino Deus.



Santuário de Schoenstatt em Santa Maria. 


Viaduto do Cerrito, cartão postal de Santa Maria, deve ser retirado em breve conforme o Dnit, ainda estão estudando o destino do viaduto. 

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Museu de Ufologia da Cidade de Itaara - RS.


Museu de Ufologia da Cidade de Itaara no Rio Grande do Sul.


Entrada.



História do Agricultor Artur Berlet.



Exposição sobre evolução.



Tudo lindo e muito legal.



Réplica do ET de Varginha - MG. Conforme a descrição das testemunhas. No caso de 1996.


Caso Varginha 1996.


Réplica de um ET.


Caso Roswell.



Mistérios dos desenhos.


Tipologia Extraterrestre.



Réplica (3x menor)da nave que foi a Lua.


Sobre a viagem a Lua.




Considerado lixo espacial, esse é um pedaço do satélite OSO-7 que caiu em Ibirubá-RS.





Teoria das Pirâmides do Egito e os ET's.


Homo Erectus.



Palestras e show de Ciências.


As linhas misteriosas de Nazca no Peru.


Os mistérios dos povos maias e os ET's.



Maquete com a evolução na Terra.



Evolução Humana.



Homo Sapiens.


Réplica de um ET.


Atuação Pedagógica.


Imagens feitas pela autora do blog.

Contatos com o Museu pelo site: http://www.museufo.org.br.

Agradecimentos ao Dr. Pigatto pelo passeio, ao Professor Hernán Mosttajo e a equipe do museu que nos recebeu calorosamente.