quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Mitologia Chinesa: Conheça a cultura milenar que influencia até hoje a vida dos chineses.

03 agosto/2017

​MITOLOGIA: CONHEÇA A CULTURA MILENAR QUE INFLUENCIA ATÉ HOJE A VIDA DOS CHINESES




A mitologia chinesa é milenar e pode ser bastante complexa para aqueles que não estão familiarizados com os seus enredos. Sua origem advém das três principais religiões da China: o budismo, o confucionismo e o taoísmo. A combinação destas crenças distintas influenciou o modo de vida dos chineses e é responsável pela criação do que chamamos de “religião tradicional chinesa”. Os valores oriundos desta mistura de ensinamentos são seguidos até hoje pela população da China.

A engenhosidade da mitologia chinesa é o que faz dela tão singular. Diferentemente dos gregos, por exemplo, os chineses prezam pela impecabilidade moral e disciplina acima da bravura.  Veja a seguir alguns dos mitos mais interessantes da mitologia e cultura chinesa, incluindo o seu conhecido zodíaco:
Dragões Chineses
Considerados os “guardiões do clima”, os dragões são figuras extremamente ligadas à cultura chinesa, representando prosperidade e poder. Apesar de suas feições maquiavélicas, são criaturas bondosas e auspiciosas que, muitas vezes, ilustram a busca pela verdade e sabedoria universal. A representação visual dos dragões é oriunda de vários animais e, geralmente, aparecem em ilustrações com patas de tigres, olhos de lebres e escamas de carpa.
Bai She Zhuan, a Mulher Cobra Branca
A busca pela imortalidade e a prática da magia taoísta dão início à lenda de Bai She Zhuan e Xiaoqing, também conhecidas, respectivamente, como as cobras branca e verde. Após diversas tentativas, ambas conseguiram se transformar em belas mulheres. Bai She Zhuan se apaixonou e casou com um homem chamado Xu Xian. Durante a sua primeira gestação, um monge budista alertou Xu Xian de que sua esposa era, na verdade, uma cobra. Com ardileza, convenceu o marido a envenenar Bai She Zhuan. Fragilizada, voltou à sua forma escamosa, o que espantou e quase tirou a vida de Xu xian. Logo após dar à luz ao seu primeiro filho, foi presa e, anos depois, resgatada por Xiaoqing. O fim da história é incerto e existe mais de uma versão para o final de Bai She Zhuan.
Ano novo chinês
Esta é uma das histórias que mais influencia o modo de vida chinês. De acordo com a mitologia, o ano novo era o período em que Nian, o ano, saía pelas ruas devorando pessoas. Assustados, os cidadãos abandonavam suas casas. O enredo se repetia anualmente até que, certa vez, um morador de rua solicitou abrigo na casa de uma senhora, que o alertou dos perigos de permanecer ali durante aquela época do ano. No entanto, o morador de rua propôs uma troca: se a senhora fornecesse a moradia, ele expulsaria Nian para sempre.
Ao chegar a última noite do ano, Nian chegou na cidade. Ao avistar a residência em que estava o morador de rua, o monstro ficou espantado: a casa estava rodeada de fogueiras. Ao se aproximar do local, encontrou o homem vestido de vermelho e cercado pelo fogo. Assustado, Nian fugiu e nunca mais retornou. Até hoje, quando o ano chega ao fim, os chineses acendem fogueiras, soltam fogos e decoram as casas de vermelho para afastar o monstro.
O horóscopo chinês
São diversos os mitos que contam a origem do zodíaco, mas o mais conhecido é o da Grande Corrida. De acordo com a mitologia, o Imperador de Jade, também conhecido como senhor dos céus, buscava um jeito de repartir o tempo. Para isso, resolveu criar uma corrida entre animais. Os doze primeiros que atravessassem o rio, representariam uma parte do tempo no calendário, de acordo com a ordem de chegada.
O primeiro a atravessar o rio foi o rato, seguido pelo boi, que carregou o vencedor em seu chifre, uma vez que o rato não sabia nadar. Na sequência, chegaram o tigre e o coelho. Em quinto lugar ficou o dragão, que só chegou nesta posição por ter parado durante a prova para ajudar os outros corredores. Em seguida, veio o cavalo, porém o mesmo se assustou com a cobra e acabaram trocando de posição. A cabra, o macaco e o galo atravessaram juntos, mas optaram por dar o oitavo lugar para a cobra por ser a mais harmoniosa dos três. Em penúltimo, chegou o cachorro, que poderia ter atravessando antes, mas ficou boiando no rio. Em último, veio o porco, que parou diversas vezes para comer e dormir. Cada ano é representado por um desses animais, porém a troca de um para outro ocorre a cada 60 anos. Isso acontece porque, além dos bichos, o zodíaco gira em torno dos cinco elementos: metal, madeira, água, fogo e terra, criando um período de 10 anos. Na soma, gera-se um ciclo de 60 anos com diversas combinações. Os chineses também possuem um animal interior, um animal verdadeiro e um animal secreto baseado no mês, dia e hora de nascimento, respectivamente.
​nossa fonte: http://www.traduzca.com/mitologia-conheca-a-cultura-milenar-que-influencia-ate-hoje-a-vida-dos-chineses/

Nenhum comentário:

Postar um comentário